Professor aplica prova sobre o Novo CPC e usa séries Game of Thrones e HIMYM

Minceta Turm und Stadtmauer von Dubrovnik

por admprocessual

O Professor da Turma do quinto período de Direito do UniCEUB, na disciplina de Processo de Conhecimento, Irapuã Santana, surpreendeu seus alunos ao aplicar uma prova de processo civil usando duas séries bem populares: Game of Thrones e How I Met Your Mother.

Segundo o Professor Irapuã Santana, “quis fazer uma prova que unisse criatividade e proximidade com os alunos. Ao invés de usar Caio, Tício e Mévio, peguei os personagens da fantasia, criei uma história com base em seus enredos e criei um litígio processual já usando o Novo CPC”.

A repercussão da questão saiu da sala de aula e ganhou o Facebook de alguns alunos e também a comunidade da Faculdade, organizada pelos próprios alunos.

Eis a questão da prova:

João das Neves, após reconquistar Winterfell, começou a analisar as contas do Norte e viu que faltavam 100 cavalos e 300kg de lenha em seu inventário. Ao investigar, viu que Ramsey, antes da batalha, havia utilizado irregularmente seus bens. Inexistindo mais a família Bolton e, sabendo que eles agiram em conluio com os Lannisters, João das Neves foi ao seu advogado, Petyr Baelish, que o aconselhou a ingressar com uma ação de reparação de danos materiais e morais em face dos Lannisters pela perda de seus bens.

Mindinho ingressou com a inicial relatando o ocorrido em 14/03/2016. A citação do rei Tommen ocorreu em 20/05/2016 já determinando o comparecimento à audiência de mediação para 07/06/2016, que não foi frutífera e apresentou contestação alegando, basicamente, que não há ligação alguma com os Boltons, que não houve qualquer membro de sua família mexendo no patrimônio dos Starks e, ainda, que João das Neves não tem legitimidade ativa para mover ação em nome dos Lobos. Por fim, alegou ilegitimidade passiva, por não ser um Lannister e um Baratheon.

O juiz Marshal Eriksen determinou que fossem ouvidas testemunhas e que fosse realizada perícia nos livros de Winterfell para verificar as saídas dos bens, e também um outro perito para que fosse ao local averiguar os estábulos.

Na audiência de instrução e julgamento, Davos Seaworth, Theon Greyjoy compareceram como testemunhas dos Starks, enquanto Lord Varys e Bronn figuraram como testemunhas dos Lannisters.

O juiz Fudge tentou conciliar as partes, sem sucesso e seguiu com a audiência, ouvindo, primeiramente as testemunhas, sabendo que era uma audiência muito tensa, querendo se livrar logo. Ouviu Greyjoy e Sir Davos e depois Sir Bronn. Antes de chamar Lord Varys, viu 3 pessoas saindo da audiência e vem a última testemunha acompanhada delas, o que ficou claramente demonstrado serem seus famosos “passarinhos”. Passada a fase de instrução toda, optou-se pela exposição oral das alegações finais e deu por finalizada a audiência.

Após esse dia estressante, Marshall vai ao Mc Larens para relaxar e conta toda a história ao seu melhor amigo, Ted Mosby, e pergunta o que ele acha do caso antes de decidir. Você estava na mesa ao lado, escutou toda a conversa e, lembrando de suas aulas de processo de conhecimento, se disponibilizou a ajudar, apontando os erros e acertos processuais em todo o caso para que ele possa decidir o mérito com a consciência tranquila.

Exponha, justificadamente todos os pontos relevantes (erros e acertos) referentes ao procedimento, utilizando os dispositivos legais e princípios pertinentes.

Foto: Fotolia

Publicado em 20/07/2016

Compartilhe:

Tags:, , ,